Fotógrafo flagra jacaré de papo amarelo em horto florestal de Pouso Alegre, MG

Dois animais da mesma espécie vivem no local, segundo a prefeitura.

Fotógrafo considerava o animal um "mito urbano".

Jacaré do horto aparece e acaba com mistério em Pouso Alegre (MG) Um fotógrafo morador de Pouso Alegre (MG) registrou a presença de um jacaré de papo amarelo às margens do lago no Horto Florestal da cidade.

O registro de Roberto Hunger mostra o animal andando na beira do lago no último domingo (19).

Além do fotógrafo, mais pessoas flagraram o momento. No vídeo, o próprio Roberto contou como é raro o jacaré aparecer por lá.

"Nunca vi.

Faço fotos aqui no horto há 13 anos e nunca tinha visto ele fora do lago.

E de dia". À produção da EPTV, afiliada da Rede Globo, ele contou sobre o flagrante.

"Eu fiz um ensaio no horto no fim de semana e durante o ensaio percebi que tinha várias pessoas fazendo selfie em um determinado ponto.

Percebi que tinha um jacaré deitado lá.

Acho até que era um mito urbano de Pouso Alegre, algumas pessoas tiravam foto, mas nunca tinha visto ele de dia, naquele horário, tomando sol". A Prefeitura de Pouso Alegre informou que, além dele, há outro jacaré da mesma espécie vivendo no lago.

A presença dos répteis no local já era confirmada por uma placa que informa sobre a vida deles e os cuidados que os visitantes devem ter. Jacaré foi visto por fotógrafo em Pouso Alegre (MG) Roberto Hunger "Uma das possibilidades que a gente trabalha é que o jacaré tenha sido um remanescente do zoológico, ele pode ter ficado filhote, acabou crescendo.

Ou por ele ser um animal de ocorrência natural na nossa região, ele pode ter vindo pelo rio, caiu no ribeirão", explicou a educadora ambiental Ana Carla Arantes. Segundo Ana Carla, quem visita o horto com mais frequência costuma ver os jacarés por lá.

"Os visitantes costumam vê-lo com uma certa frequência.

É complicado ver porque ele costuma ficar escondido, ele não fica aparente.

Só toma sol quando está mais frio". Ainda conforme a educadora, a espécie é bem comum no Sul de Minas.

Ele se alimenta de peixes e pequenas aves.

"Nós não somos presas pra ele.

É muito importante falar, ele não vai predar o ser humano.

O que ele vai fazer é se defender caso se sinta incomodado". Ela ainda orienta que as pessoas não se aproximem muito para tirar fotos, arremessar objetos ou tentar tocar o animal.

"Ele está no habitat natural dele.

O nosso objetivo é preservar esse espaço tão bom, tão rico.

Deixar ele quieto no cantinho dele, porque não representa risco algum para a população". Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
Categoria:MG - Sul de Minas