Bolsas da China fecham em queda antes de assinatura de acordo comercial com EUA

Secretário do Tesouro disse que EUA vão manter tarifas sobre importações da China por enquanto.

Presidente da China, Xi Jinping, e presidente dos EUA, Donald Trump, se cumprimentam em imagem de novembro de 2017. Damir Sagolj/Reuters O mercado acionário chinês fechou em queda nesta quarta-feira (15), poucas horas antes de as duas maiores economias do mundo assinarem a Fase 1 de um acordo comercial, após o secretário do Tesouro dos Estados Unidos insistir que as tarifas permanecerão em vigor. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,55%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,54%. O subíndice do setor financeiro recuou 1%, o de consumo teve alta de 0,5%, o setor imobiliário caiu 1,7%, enquanto o subíndice de saúde avançou 0,3%. Trump deve assinar a Fase 1 do acordo comercial com o vice-primeiro-ministro chinês Liu He na Casa Branca ainda nesta quarta-feira. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,45%, a 23.916 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,39%, a 28.773 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,54%, a 3.090 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,55%, a 4.166 pontos. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,35%, a 2.230 pontos. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,72%, a 12.091 pontos. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,41%, a 3.256 pontos. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,47%, a 6.994 pontos.

Categoria:Economia